terça-feira, 22 de abril de 2008

Poema à Terra

Porque hoje é Dia da Terra e eu sou uma acérrima defensora do ambiente e do meio que nos envolve - acho que agora somos nós que envolvemos o meio - não poderia deixar esta data esquecida. A todos quantos amam a Terra como planeta e pela fauna e flora que a caracteriza, obrigada pela luta e preservação de todos os dias.

Um poema singelo ao som da chuva:



Pedaços de um mundo
Que se fundiu,
De azul e verde profundo
Que o tempo destruiu.
Pela àgua se desenvolveu
Em fases, ciclos e etapas,
Cresceu e adormeceu
No sonho de diplomatas.
Assinar mil petições
E dizer que se é contra
As rebeldes instituições
Que a ela fazem afronta.
De pouco adianta, porém,
Munidos de palavras
É possível ir além
E soltar as amarras.
Dar vida e calar a dor,
Defender com amável fervor
As várias faces da Terra
Para calar esta fera
Que é cancro e desbasta
O habitat que nos alcança.
É tempo de dizer basta!
É hora de ter esperança
Que também é verde e purifica!

11 comentários:

Natércia disse...

Menina és boa em tudo para além de cozinhares bem tens grandes dons é o que eu te digo vais ver se te apanham na tropa acontece como o meu filho é noite e dia um beijinho grande. Natércia...

Axly disse...

Que lindo!!!
E viva nosso planeta, tão lindo e mal tratado...
Kisss^^

ameixa seca disse...

Natércia és sempre a mesma querida. Obrigada :-)
Axly está mesmo mal tratado e dói-me muito esse facto.
Espero dias melhores...

Espaço do João disse...

Fico muito grato pela tua passagem por meu espaço.Volta sempre pois ajudas e animas. Obrigado. João.

Saltapocinhas disse...

e eu que me esqueci que dia era hoje!!

Dama do Lago disse...

A Terra é a nossa casa e se não cuidarmos dela vamos pagar caro por isso. A protecção ambiental devia estar prevista nas leis e ser muito mais exigente do que é. É preciso "lutar" de todas as maneiras possíveis para minimizar todo o estrago que já fizémos.

Marizé disse...

Que bonita homenagem, o nosso planeta merece.

Bj

Nani disse...

Que talento parabéns :)

ameixa seca disse...

João não tem que agradecer! É um prazer ir ao seu espaço.
Saltapocinhas não é grave. Pior é esquecer-se todos os dias da Terra.
Dama tens razão. Falta a lei na prática. A teoria não remedeia nada nem ninguém.
Marizé, merece o planeta e todos os que nele vivem. É disso que temos que nos lembrar. Se a Terra fica doente nós também ficamos.
Nani não sei se é talento... é o que vai na alma. :-)

Cláudia disse...

Ameixa, linda poesia, de emocionar, que mundo deixaremos para nossos descendentes? Estou nesta causa contigo.

bjs

ameixa seca disse...

Cláudia obrigada pela visita!
Não sei que mundo deixaremos mas é nosso dever esforçarmo-nos para que seja o melhor possível para quem deixaremos cá.