terça-feira, 5 de agosto de 2008

Academia de livros- "A Espuma dos Dias" de Boris Vian

Nunca gostei de perder tempo. Na escola, os tempos livres eram passados a ler. Sempre que não tinha os amigos por perto, tinha um livro. Ir ao médico e ter que esperar sem fazer nada, viajar de comboio, esperar por alguém, sempre foi um tempo preenchido de leitura.

Boris Vian foi escritor, engenheiro, músico, poeta, cantor, actor, cronista e morreu prematuramente aos 39 anos numa sala de cinema enquanto assistia à adaptação para filme do seu livro "Hei-de cuspir-vos nos túmulos".

Para conhecer o homem também é preciso ouvi-lo. Deixo-vos um vídeo de uma música que me diz muito. Porque Vian via o absurdo da guerra e o destaque do capitalismo, fez o favor de denunciar em canção a sua visão do mundo e em particular da invasão da Argélia.




"Le Déserteur"

Não deixem de ler Vian. Quem conhece o "Arranca corações", "As formigas", "O Outono em Pequim", "Erva vermelha", "Elas não dão por ela", "Morte aos feios" e "Hei-de cuspir-vos nos túmulos" (estes três últimos sob pseudónimo de Vernon Sullivan), sabe que são leituras simplesmente fantásticas, que nos transportam para um mundo novo :) De todos estes falta-me ler "Erva Vermelha" e "Hei-de cuspir-vos nos túmulos", uma falha imperdoável.
Vian escreve muito acerca do amor e das mulheres. Creio que, para ele, só é possível encontrar mulheres bonitas ou mulheres inteligentes. Nunca a fusão desses dois pormenores :)
As mulheres inteligentes são bem capazes de aceitar esta característica em Vian. Há capacidade para ultrapassar essa "falha" dele e apreciar a sua escrita sem ficar ofendida, porque a inteligência é isso mesmo. Não podemos dissociá-lo da época em que viveu.

No prefácio desta espuma Vian refere que «Só existem duas coisas: o amor de todas as maneiras, com raparigas belas, e a música de Nova Orleães ou Duke Ellington. O resto deveria desaparecer, porque o resto é feio (...)»

O suficiente para inflamar alguns espíritos, hein? Vian é um provocador e eu adoro isso, politicamente incorrecto, frontal e sempre bem disposto :)

Como já tinha referido, escolhi uma trágica história de amor. Mas é uma história sublime, em nada igual a todas as outras que já leram. Vian usa o sarcasmo, o absurdo, a ironia e o bom humor para dar asas às histórias. É isso que o distingue de muitos outros.O livro de Vian que escolhi fala de um casal de apaixonados, cujo amor é intenso mesmo depois de uma tragédia. Colin fará de tudo por Chloé, porque "as paixões saem caro". No livro são muitas as incursões gastronómicas, como poderão ler nas citações.

O título que Vian deu a este livro diz tudo de nós, deu-lhe um significado sincero acerca da vida de todos nós e de todos os seus aspectos. No original, "l'Écume des Jours" traduzido para "A espuma dos dias". Fala do que constitui a espuma de todos os dias: os amigos, os amores, a culinária (Colin tem um cozinheiro particular- Nicolas), o trabalho, os excessos, as doenças, a morte e a vida na sua complexidade. Faz uma crítica ao exagero e a tudo que dele resulta. Porque o amor em excesso também enlouquece e transforma-nos em espuma.

Deixo-vos algumas passagens que me marcaram neste livro e espero que seja o suficiente para vos levar a ler uma história de Vian. Esta foi considerada a obra mais importante de Vian e nem sempre é possível adquirir bons livros por menos de 13€, não é?
Espero que sejam motivos suficientes para que leiam mais Vian :)

Colin é um rapaz abastado, tem um cozinheiro particular e um amigo chamado Chick. Tem um rato como animal de estimação e conhece Chloé. A partir daí um grande amor passa por uma grande provação e por muitas situações estranhas em cenários incríveis.

«-Este pâté de enguias é notável - disse Chick. - Quem te deu a ideia de o fazeres?
-Foi o Nicolas quem teve a ideia - disse Colin. - Há (ou antes, havia) uma enguia que aparecia todos os dias, saída do cano da água fria, e ele encontrava no laboratório.
-É curioso - disse Chick. - E por que é que isso acontecia?
-Punha a cabeça de fora e, fazendo pressão com os dentes, esvaziava o tubo de pasta dentrífica. Como Nicolas só usa pasta americana, de ananás, isso deve tê-la tentado.»


«Pendurado na parede que ficava à frente de Colin, via-se Jesus numa grande cruz negra. Parecia satisfeito por ter sido convidado e olhava para tudo com interesse.»


Colin «Ia a correr o mais que podia, e à sua frente as pessoas inclinavam-se lentamente para cair como mecos e ficar estendidas no passeio fazendo um marulhar macio, (...). Chloé repousava, muito branca naquela cama bonita que fora das suas núpcias. Tinha os olhos abertos mas respirava mal (...). Colin, porém, não sabia o que tinha acontecido e corria, sentia medo porque não basta estarmos sempre juntos, também é preciso sentir medo, talvez tivesse sido um acidente, um automóvel que a tivesse atropelado (...).»

«-O doutor quer que ela vá para a montanha - disse Colin. - Está convencido de que o frio consegue matar essa porcaria... (...)

-Também disse que é preciso termos constantemente flores à sua volta - acrescentou Colin.- Para meterem medo à outra...»

A passagem mais admirável para mim é quando Colin arranja um emprego em que tem que semear espingardas e fazê-las crescer direitinhas com o seu calor humano. Cínico e absurdo não é? Acima de tudo, muito inteligente :)

Deixo-vos apenas algumas frases do livro. Não posso contar tudo porque não seria justo para quem quiser ler. É suposto ser apenas uma "entrada" a aguçar o apetite.

Leiam porque como Elie Wiesel diz: "O inferno é um local sem livros"

Perdoem-me o "testamento" mas Vian merece ;)

26 comentários:

Cláudia M. disse...

Querida Ameixa, por mim estás mais que perdoada pelo "testamento"; pelo contrário, estou-te grata por me teres dado a conhecer o que "malheureusement" - para usar a língua do "teu" autor - ainda desconheço. Pois é, nunca li este livro, mas podes estar certa que vou fazê-lo o mais brevemente possível.
Qto às mulheres bonitas vs inteligentes, como já há mtos homens que acham que a mulher perfeita (?) tem de ser inteligente E bonita, até é bom haver uma opinião divergente... Mas depois tb há aqueles que gostam delas é mto bonitas e mto pouco inteligentes! Enfim, há gostos para tudo...

Tal como tu, desde que me lembro que ando (quase) sempre com um livro "a tiracolo" (uma das minhas piores tardes foi precisamente num posto médico várias horas à espera de um consulta, SEM UM LIVRO!!).
Olha, gostei mto da tua participação, e acho bem que não tenhas dado mtos detalhes, pq um dos objectivos é precisamente incentivar à leitura da obra...
Adorei essa frase de o inferno ser um local sem livros. Não poderia estar mais de acordo.

Elvira disse...

"L'Ecume des Jours" era uma leitura obrigatória do 8º ano, em França, onde fui criada. Gosto de toda a obra de Boris Vian, inclusivamente da mais oculta como o "J'irai cracher sur vos tombes". E aquelas letras de canções malucas que ele escrevia, como "Fais-moi mal Johnny"... :-D

Boa leitura, de facto. :-)

Beijinhos.

Talula disse...

Minha irmã fala maravilhas do Boris Vian, mas ainda não li nada dele.
Beijinho

Sylvia disse...

Puxa, que maravilha de post.Também sempre foi meu preferido pasatempo , enquanto espero qualquer coisa ,ler.
Beijos

Mari Rezende disse...

Adoooro ler também, Ameixinha... Seu post me deixou bastante curiosa sobre o autor!
Beijinhos!

Nani disse...

Também ainda não li nada do Boris Vian, e gosto muito de ler de quando em vez, adorei o post, bjs

Mari Rezende disse...

Ah, quase esqueci!
Menina, ri bastante com a sua história da Vaca Atolada... Esse é um prato delicioso da culinária brasileira, e mesmo sendo tão gostoso é bastante discriminado por utilizar a costela que é uma carne de segunda. Como você pôde perceber também, não é um prato muito light. Mas, ainda assim, é uma maravilha...
E eu fiquei muito feliz em saber que você gostou tanto da Mandioca! É uma iguaria estranha à primeira vista, mas tem muito potencial. Espero que você ainda possa preparar vários e vários pratos com ela! Se quiser, tenho algumas receitinhas legais que posso te passar...
Gostei tanto da sua experiência que resolvi entrar para o intercâmbio!! :D

Beijinhos!

ameixa seca disse...

Cláudia, ainda bem que gostaste da minha participação. É um prazer fazer parte da academia :)
Elvira, creio que Vian era um artista completo... maluco mas completo :)
Talula, se ela fala, acredita nela :)
Sylvia, pelo menos enquanto esperamos não ficamos a olhar para o vazio ;)
Nani, eu gosto muito de Vian. Mas ler, por si só, já é muito bom ;)
Mari, curiosidade é bom... leva-nos a descobertas boas ;)
A mandioca atolou em mim e fiquei fã. Ainda por cima, por causa dela, acho que fiz um bom post eheh A vaca atolada foi discriminada pela positiva aqui em casa... é delicioso ;)
Então se resolveste entrar para o intercâmbio só me resta dar-te as boas vindas a este mundo maravilhoso ;)
Abraços

claudia disse...

O único livro que li do Boris Vian foi precisamente: A espuma dos Dias e gostei bastante, principalmente as metáforas que ele faz para fazer a ponte entre a doença e a dimensão espacial, tal como a luz.

Noémia disse...

Querida ameixa, li « L'écume des jours» no original, não por escolha própria mas por obrigação. Era uma das obras possíveis numa oral obrigatória de Francês, na U.P., quando por lá passei.Gostei bastante do autor e da forma como escrevia, mais do que da história. Surpreendiam-me as ideias e reflexões absurdas,diferentes das outras obras que estudávamos...o rato, a doença de Chloé,essa enguia que vivia na canalização ensombraram o meu imaginário durante uns tempos ( não te esqueças que ia fazer exame sobre isso )! Mas já lá vão uns anos e os pormenores esbatem-se na minha memória. Não vou prometer relê-lo mas apaudo a tua escolha. :)

Marcia disse...

Li muito pouco de B. Vian, você me despertou a vontade de voltar a ele. Acabo de ler Gran Cabaret Demenzial, de Veronica Stigger, que segue um pouco esta linha, ainda não sei se gostei, estou digerindo, não é um livro do qual se goste ou deixe de gostar sem antes refletir um bocado.
Obrigada pela lembrança. bj

Isabel disse...

Ameixa, o teu post é maravilhoso. Escreves muito bem sobre literatura pq pareces saber captar a essência dos livros. Assim que puder vou ler esse livro tão famoso, mas que infelizmente nunca li.
Bjs

Adriana disse...

Gostava de ter essa capacidade para escrever, para transmitir, e de cozinar!!! Peço desculpas pelo meu portugues.Sou uma fiel visitante do teu blog e desde já estas convidada a visitar o meu.

Nela disse...

Parabéns Ameixinha pelo gosto que tens pela literatura ,por acaso ainda não li esse livro,mas fica em aberto.Beijito fica bem.

claudia disse...

Olá..então como funciona a academia de livros? O meu email é: claudia.costa.78@gmail.com

Saltapocinhas disse...

é uma vergonha, mas nunca li boris vian!

até há pouco tempo pensava que ele era apenas poeta, e a poesia não é a minha literatura favorita...

ameixa seca disse...

Claudia, ainda bem que gostaste :) Assim sei que fiz uma boa sugestão.
Noémia, compreendo que tenha sido penoso ler o livro nessas condições eh eh. Mas o homem é um bom escritor... até o absurdo lhe dá genealidade :)
Marcia, que tal participares neste desafio com um livro que queiras partilhar? Eu gostaria de ver a tua sugestão, que dizes?
Já agora convido todas/os os que quiserem participar. Não tem prazo para postar... é ao sabor da corrente. Seria interessante saber as vossas sugestões literárias ;)
Isabel, obrigada :) Se puderes lê Vian, acho que vais gostar.
Adriana, obrigada. Eu é que gostava de ter a capacidade que tu tens :) Mas não podemos ter tudo não é?
Nela, obrigada :) Aconselho-te a ler algo de Vian... é muito bom.
Claudia, vou enviar-te um mail a explicar ;)
Saltapocinhas, shame on you! O homem, como podes ver, não é só poeta. Os livros dele não são caros... aconselho-te a experimentar e a participar deste desafio. Acho que a Cláudia já te convidou, certo? Bora lá a sugerir algo... há muitos autores que nunca li também. Espero novas sugestões :)

Fabrícia disse...

Que belo post.... Fiquei encantada com sua descrição sobre Boris Vian. Nunca li mas agora vai para minha lista.... eita listinha commprida ....
Bjs.

Carla disse...

Partilhar é das melhores coisas do mundo! Partilhar sentimentos, receitas, lugares, livros... Não conhecia Boris Vian mas fiquei com curiosidade de ler, depois darei notícias. Continua a deliciar-nos com maravilhosos livros!

bjs

ameixa seca disse...

Fabrícia, o objectivo é mesmo este :) Sugerir livros e deixar as pessoas curiosas e com vontade de ler ;)
Carla, pois é! Partilhar é bom, especialmente quando são coisinhas boas ;)

cupido disse...

Bem, só posso dizer uma coisa: que belo texto sobre uma das grandes personalidades do século XX! O Outono em Pequim é, para mim um dos romances do século passado e o Irei cuspir-vos nos túmulos, uma "pequena" grande obra (alias, a trilogia Vernon Sullivan é sublime). Confesso que já li (quase) tudo dele, para além de ter alguma música e ser um fã incondicional do "personagem".

ameixa seca disse...

Cupido, obrigada pela simpatia. Também já li quase tudo dele... e estou a ver se leio mesmo tudo ;)
E que tal fazeres tu uma sugestão literária? Tenho certeza que, desse lado, vem boa coisa :)

Marcia disse...

Ameixa, aceito o convite sim. Sempre tenho 2 livros abertos. No final de semana terei mais tempo para escolher um e comentar. Obrigada pelo convite e bom final de semana.

ameixa seca disse...

Marcia, obrigada :) O teu nome já consta da lista de sócias no blog da Cláudia M.
Bom fim de semana

Valentina disse...

Fiquei curiossissima para ler esta obra e conhecer mais sobre este escritor. vou ver e acho este livro em ingles e pedirei.um grande abraço.

ameixa seca disse...

Valentina, com certeza que vais encontrar. Espero que gostes :)